Marketing Baby, “C’est la Vie”!

Posted on 18 de Abril de 2010

0


Marca na camiseta,  ténis, bonés, bolsas, óculos, celular… enfim o Marketing esta por toda a parte. Há um nome ( rótulo) em tudo o que interessa  a nossa volta, hoje em dia rotulamos tudo e a todos, descrevemos nossos amigos como TDB, meu amigo do Orkut, minha amiga baladeira, meu pet, meu fluflu (nome dado a qualquer objeto/coisa ou pessoa  adorada). Não tenho um idéia bem clara como anda meu Marketing Pessoa, acredito que muito mal,  às vezes fico sabendo que alguma  pessoas  me consideram Fashion, outras Brega, para alguns sou Brava e Séria para outras Festeira, eu considero que todos os comentários são verdadeiros, visto que em cada ocasião/lugar ou fase da minha vida adoto posturas diferentes,  se isto é um defeito ou uma qualidade não tenho certeza, e também não preocupo muito. Se eu fosse uma celebridade eu realmente teria muito trabalho para manter um equilibrio e passar uma imagem descolada e moderna, não lido ainda muito bem com meu Marketing Pessoal ainda o chamo de Doutor, mas vou logo dizendo tô lendo bastante e procurando me inteirar do babado “Me aguardem!”.  O meu interesse atual visa entender  melhor como a  nossa  maior marca, o nosso nome exerce influência na nossa vida (profissional ou social).  Atualmente encaro o nome como sendo a verdadeora MARCA de um produto, cujo objetivo principal é  promover o novo individuo, sua essencia, direcioná-lo para o sucesso, e neste caso o nome/marca deve ter um toque de  exclusividade. Analisando o processo ou melhor o passo mais importante o da escolha, a marca deve ser construida levando em consideração pelo menos 2(dois) itens fundamentais:  a criatividade e o entusiasmo estes itens devem participar sempre na hora da decisão final. Entretanto, na prática tanto a criatividade como o entusiasmo são colocados muitas vezes colocados de lado. As escolhas  não são feitas por uma conceituada empresa de Propaganda, e em geral  são os próprios responsáveis pela concepção do produto que  também assumem a responsabilidade pelo lançamento e a divulgação da nova Marca, quem já trabalhou numa pequena empresa familiar sabe muito bem que as decisões mais importantes são tomadas pelo sócio (parceiro)  que detem o poder, as decisões de um modo geral são feitas  de forma arbritárias e  as características produto,  os estudos e pesquisas são direcionadas a satisfazer os interesses pessoais. O  ideal seria pensar nas qualidades  para promover o novo ser,  pensar num nome com estilo,  buscando a individualização, a época do lançamento. Então  O nome deveria ser de fácil aceitação para o publico alvo,  o responsável pela escolha não deve esquecer  que  o nome escolhido e para  toda  vida,  dificilmente haverá um novo relançamento do produto,  então esta marca é muito importante e deve refletir o que realmente aquele individuo será de fato. Percebemos logo de cara quando um nome não reflete o produto ou quando ele deprecia o produto. Face a isto, é que algumas celebridades atores, jogadores e outros por muitas vezes ficam mais conhecidos por  seus apelidos, do que realmente pelo seu nome. De fato,  pesquisando no “Google” por Arthur Antunes Coimbra encontrei 27.900 registros, refazendo a pesquisa por  Galinho de Quintino encontrei 57.500, mas para quem ainda não sabe de quem estou falando explico eu estava procurando mesmo a biografia do ex-jogador da seleção brasileira, o  Zico cujo mesmo mecanismo de busca me trouxe 1.840.000 registros.  Mesmo querendo acertar por muitas vezes constatamos que nosso novo amiguinho, apesar de todo o orgulho dos pais tem uma carinha muito sapeca e um sorriso contagiante e desde de pequenino já encanta a todos por onde passa, entretanto o carismático bebê  foi batizado com o nome do seu avô Rubens, e ai não tem jeito passou a ser conhecido como “Rubinho” é uma saga onde o avô se orgulha em uma entrevista e diz : “Somos três Rubens! Meu nome é Rubens Barrichello, meu filho chama-se Rubens Barrichello Júnior, e o Rubinho é Rubens Barrichello” e ai eu digo Pô Meu! Cadê a assessora de Marketing ? Será que eles são adeptos do  “fale bem ou falem mal, mas falem de mim”. Eu sou muito radical e não consigo enternder este tipo de conformismo,  acredito que o Zico não seria o “ Z I C O “,  se todos os conhecessem por Arthurzinho! Penso que filho de Peixe nunca será um Peixão, sempre será um Peixinho, enfim  “C’est la Vie” !
Aproveito para deixar  uma dica de leitura a todos que se interessam por Marketing Pessoal, Empresarial e Social leiam o livro do Mario Persona – ” Marketing Tutti-Frutti ” ,  tem como baixar a Edição Digital _ e-book (GRÁTIS) – Scribd.com (EUA)